Matriz GUT e BASICO: Conceito e aplicação das Matrizes de Priorização

A matriz de priorização (GUT e BASICO) foi criada por Charles Kepner e Benjamin Tregoe em 1981 e é uma ferramenta da qualidade que funciona para determinar os problemas ou solução que apresentam maior prioridade, dentro de critérios pré-estabelecidos.

Para priorizarmos problemas a serem tratados utilizamos a matriz GUT, que se baseia em 3 dimensões a fim de criar um ranking de maior importância:

  • G (Gravidade): Dano ou prejuízo que pode decorrer da situação atual, descobrindo a seriedade do problema.
  • U (Urgência): Quanto tempo temos para resolver a gravidade do problema, ou seja, a pressão do tempo que é sentido para se dedicar à situação atual.
  • T (Tendência): Evolução do dano ou prejuízo da situação atual no futuro (vai melhorar, piorar ou se manter igual).

Depois de entendidos os conceitos da matriz GUT, precisamos entender suas notas, para podermos completar a matriz de priorização, observe a tabela abaixo:

GUT

Para a sua aplicação precisamos construir a tabela inserindo nas linhas os problemas a serem analisados, depois classificarmos relação às 3 dimensões (gravidade, urgência e tendência) com as notas (tabela) e por fim multiplicamos os três valores construindo um ranking com os resultados.

Podemos usar como exemplo, para melhor interpretação, a seguinte pergunta: Qual é o problema prioritário no setor de compras?

GUT

Após aplicarmos a matriz GUT, sabemos que o atraso na entrega é o problema que deve ser priorizado seguido do alto índice de recompra, problemas disciplinares e por último o alto gasto com materiais.

Logo que descobrimos quais problemas devem ser priorizados, precisamos achar soluções. Podemos fazer isso aplicando outras ferramentas da qualidade como o Brainstorming.

Agora que sabemos os principais problemas e que criamos várias soluções, podemos aplicar um segundo método de Matriz de Priorização, a Matriz BASICO. Ela é utilizada para priorizar quais soluções devem ser adotadas, para isso criamos 5 dimensões a fim de criar um ranking (como a GUT), essas são:

  • B (Benefícios): quais são os benefícios para a organização caso a solução seja adotada.
  • A (Abrangência): qual a abrangência aos clientes (internos e externos) beneficiados pela solução, isto é, quão vai ser a quantidade de pessoas/empresas/setores que aproveitarão essa decisão.
  • S (Satisfação): qual é a satisfação dos colaborados com a solução adotada.
  • I (Investimento): qual será o investimento necessário para a aplicação da solução.
  • C (Cliente): O impacto que o cliente sofrerá com a mudança.
  • O (Operações): Qual será a operacionalidade da solução (dificuldade).

Depois das dimensões explicadas é necessário o entendimento das notas, que julgarão a prioridade das soluções na matriz BASICO:

BASICO

Após seguimos o mesmo conceito da matriz GUT, que é criar a tabela inserindo nas linhas as soluções a serem analisados, depois classificarmos em relação às 6 dimensões (benefícios, abrangência, satisfação, investimento, cliente e operacionalidade) com as notas e por fim multiplicamos as seis notas construindo um ranking com os resultados.

Podemos continuar com o mesmo exemplo do setor de compras, priorizando quais as melhores soluções para o atraso nas entregas:

BASICO

Conseguimos analisar que perante todas as soluções propostas “Acompanhar o pedido de compra é a mais viável”, seguindo de “Eliminar burocracias”, “Fazer o pedido assim que o material solicitado” e por último “Comprar produtos de outros fornecedores”.

Logo as matrizes de prioridade, tanto GUT quanto BASICO, quando usadas em conjunto funcionam muito bem, podendo assim guiar o caminho para soluções mais importantes e viáveis p. Podemos também aplicar o PDCA após a utilização da matriz BASICO.

Caso o aluno não tenha entendido ou ficado com dúvida em alguma parte, recomendamos a seguinte vídeo aula:


 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *